30 de dezembro de 2009

Hallelujah




well there was a time when you let me know
what's really going on below
but now you never show that to me do you
but remember when i moved in you
and the holy dove was moving too
and every breath we drew was hallelujah

well, maybe there's a god above
but all i've ever learned from love
was how to shoot somebody who outdrew you
it's not a cry that you hear at night
it's not somebody who's seen the light
it's a cold and it's a broken hallelujah

hallelujah...


19 de dezembro de 2009

Crystalised



Estás sentado, Gherardo, mas os teus pés estão assentes no solo com a inquietação de quem experimenta o caminho. Estás vestido com trajes do nosso século, que hão-de parecer feios ou simplesmente estranhos quando o século tiver passado pois as vestes não são mais que a caricatura do corpo. Vejo-te nu. Tenho o dom de ver através das roupas o irradiar do corpo, que é como os santos vêem as almas, segundo penso. É um suplício quando são feios, mas é um outro suplício quando são belos, dessa beleza frágil que a vida e o tempo atacam por todos os lados e acabarão por tomar-te, mas neste momento és dono dela e tua será na abóbada da igreja onde pintei a tua imagem. Mesmo que um dia o teu espelho te não mostre mais que um retrato deformado onde não ouses reconhecer-te, existirá sempre noutro sítio o reflexo imóvel de ti.

E desse modo imobilizarei a tua alma também.

Marguerite Yourcenar




2 de dezembro de 2009

Palimpsest



Winter weather is not my soul
But the biding for spring...

Why’s everybody looking at me
Like there’s something fundamentally wrong
Like I’m a southern bird
That stayed north too long

Winter exposes the nest
Then I’m gone


30 de novembro de 2009

Sheep Go To Heaven



Now but I just want to play on my panpipes
I just want to drink me some wine
As soon as you're born you start dyin'
So you might as well have a good time

27 de novembro de 2009

Nessun Dorma
























(…)
repentinamente
ressoam tímbalos, como se a febre
os fizesse chocar
dentro do seu coração:
contra sua vontade,
um longo hábito levou-a de volta ao circo,
à hora onde todas as noites ela luta
contra o anjo da vertigem.

uma última vez
enche-se daquele cheiro de animal selvagem
que foi o da sua vida,
daquela música enorme e desafinada
como é a do amor.
(…)


Marguerite Yourcenar



17 de novembro de 2009

10 de novembro de 2009

Shampoo




and black is the color of
a strangled rainbow
that's the color of my loss

black is the color of my true love's arrow
that's the color of human blood
you got a shot of shampoo

though it was made thirty years ago
you got a shot of shampoo
though you were made twenty years ago


31 de outubro de 2009

23 de outubro de 2009

Big Bird In A Small Cage


(...)
Cala-te, voz que assevera
e insinua
que a primavera
a pintar-se de lua
nos telhados,
só é bela
quando se inventa
de olhos fechados
nas noites de chuva e de tormenta.

Cala-te, sedução
desta voz que me diz
que as flores são imaginação
sem raiz.
(...)

José Gomes Ferreira




18 de outubro de 2009

Loneliness Is A Gun




So I memorize the diamond in your eyes
it shone so sweetly
it cut through any lie
I'm touching gold
I'm colder still, I'm colder still
I just memorize the diamond in your eyes


16 de outubro de 2009

Jayne's Blue Wish



Life's a path lit only by the light of those I've loved
By the light of those I love


Ne me quitte pas‏






Je t'inventerai
Des mots insensés
Que tu comprendras

Je te parlerai
De ces amants là
Qui ont vu deux fois
Leurs coeurs s'embraser

Je te raconterai
L'histoire de ce roi
Mort de n'avoir pas
Pu te rencontrer
Ne me quitte pas

8 de outubro de 2009

Butchers Boy



Estou nu diante da água imóvel. Deixei minha roupa
no silêncio dos últimos ramos.

Isto era o destino:
chegar à margem e ter medo da quietude da água.



Antonio Gamoneda



6 de outubro de 2009

Trouble No More



Darling, darling, darling dear
You left me on the hottest day
Oh darling, darling, darling dear
You left me on the hottest day

I gave up on whiskey and beer
Better, no
I gave up on whiskey and beer
And am I happier, no

I tried my best to be good to you
Could be better though
I tried my best to be good to you
But when I tried I tried, oh Lord I tried...



22 de setembro de 2009

15 de setembro de 2009

Werewolf





Hoje acordei sem silêncio no peito. Deixei queimar a pele no duche para me certificar que existia.

Olga R.




9 de setembro de 2009

Too Many Birds





If...
If you...
If you could...
If you could only...
If you could only stop...
If you could only stop your...
If you could only stop your heart...
If you could only stop your heart beat...
If you could only stop your heart beat for...
If you could only stop your heart beat for one heart...
If you could only stop your heart beat for one heart beat.


4 de setembro de 2009

Help Yourself



Tu já não me amas. Se consentes em ouvir-me durante uma hora é porque somos sempre indulgentes com aqueles que vamos deixar. Ligaste-me e agora desligas-me. Não te censuro, Gherardo. O amor de alguém é um presente tão inesperado e tão pouco merecido que devemos espantar-nos que não no-lo retirem mais cedo. Não estou inquieto por aqueles que ainda não conheces, ao encontro de quem vais e que porventura te esperam: aquele que eles vão conhecer será diferente daquele que eu julguei conhecer e creio amar. Não se possui ninguém (mesmo os que pecam não o conseguem) e, sendo a arte a única forma de posse verdadeira, o que importa é recriar um ser e não prendê-lo.

Gherardo, não te enganes sobre as minhas lágrimas: vale mais que os que amamos partam quando ainda conseguimos chorá-los. Se ficasses, talvez a tua presença, ao sobrepor-se-lhe, enfraquecesse a imagem que me importa conservar dela. Tal como as tuas vestes não são mais que o invólucro do teu corpo, assim tu também não és mais para mim do que o invólucro de um outro que extraí de ti e que te vai sobreviver.

Gherardo, tu és agora mais belo que tu mesmo. Só se possuem eternamente os amigos de quem nos separamos.


Marguerite Yourcenar




31 de agosto de 2009

Cat People [putting Out the Fire]



Col. Hans Landa: Now if one were to determine what attribute the German people share with a beast, it would be the cunning and the predatory instinct of a hawk. But if one were to determine what attributes the Jews share with a beast, it would be that of the rat. If a rat were to walk in here right now as I'm talking, would you treat it to a saucer of your delicious milk?
Perrier LaPadite: Probably not.
Col. Hans Landa: I didn't think so. You don't like them. You don't really know why you don't like them. All you know is you find them repulsive. Consequently, a German soldier conducts a search of a house suspected of hiding Jews. Where does the hawk look? He looks in the barn, he looks in the attic, he looks in the cellar, he looks everywhere *he* would hide, but there's so many places it would never occur to a hawk to hide. However, the reason the Führer's brought me off my Alps in Austria and placed me in French cow country today is because it does occur to me. Because I'm aware what tremendous feats human beings are capable of once they abandon dignity.



27 de agosto de 2009

Dirge




A noite veio de dentro, começou a surgir do interior
de cada um dos objectos e a envolvê-los no seu halo negro.
Não tardou que as trevas irradiassem das nossas próprias
entranhas, quase que assobiavam ao cruzar-nos os poros.
Seriam umas duas ou três da tarde e nós sentíamo-las
crescendo a toda a nossa volta. Qualquer que fosse a pers-
pectiva, as trevas bifurcavam-na: daí a sensação de que,
apesar de a noite também se desprender das coisas, havia
nela algo de essencialmente humano, visceral. Como ins-
tantes exteriores que procurassem integrar-se na trama
do tempo, sucediam-se os relâmpagos: era a luz da tarde,
num estertor, a emergir intermitentemente à superfície das
coisas. Foi nessa altura que a visão se começou a fazer
pelas raízes. As imagens eram sugadas a partir do que
dentro de cada objecto ainda não se indiferenciara da luz
e, após complicadíssimos processos, imprimiam-se nos
olhos. Unidos aos relâmpagos, rompíamos então a custo
a treva nasalada.

Luís Miguel Nava



26 de agosto de 2009

Summertime



Charlotte: [after Bob tells her of his back pain] I'm in pain, I got my foot banged up. Wanna see it?
Bob: [to Chef, sarcastically] How do you say no?
[sees the foot]
Bob: Oh, my gosh! When did you do this?
Charlotte: I did it the other day, it hurts, y'know?
Bob: Didn't you feel any pain?
Charlotte: Yeah, it really hurt.
Bob: That toe is almost dead.
[Charlotte laughs]
Bob: I think I got to take you to a doctor, you can't just put that back in the shoe. Well, you either go to a doctor or you leave it here.
[regarding Chef]
Bob: He's smiling. You like that idea? See they love black toe in this country.
[Charlotte continues laughing]



25 de agosto de 2009

Waiting Around to Die



Ninguém se aproxima de ninguém se não for num murmúrio,
entre flores altas: camélias de ar
espancado, as labaredas dos aloés erguidas
de uma carne difícil.

A beleza que devora a visão alimenta-se da desordem.

O espaço brilha dela, sussurra quando passa por uma imagem
tão leve que não suporta o peso
brusco
do sangue - as veias da garganta contra a boca.



24 de agosto de 2009

Urso Polar



Why is the polar bear so important?
Large carnivores - those that are at the apex or top of the food chain - are particularly sensitive indicators of the health of an ecosystem... in this case, the Arctic.

And of all of the wildlife species in the Arctic, the polar bear is perhaps the most fitting icon for this ecoregion.

Its amazing adaptations to life in the rugged Arctic environment and dependence on sea ice make them so impressive, and yet so vulnerable.

This is why polar bears help us gain an understanding of what is happening throughout the Arctic, as a polar bear at risk may signal something is wrong elsewhere in the arctic marine ecosystem.

All recent indicators show that sea ice in the Arctic is melting at an alarming rate, a problem that needs to be addressed immediately if polar bears, and other species unique to the region, are to survive.

21 de agosto de 2009

Your Ghost



"She was a maiden of rarest beauty, and not more lovely than full of glee. And evil was the hour when she saw, and loved, and wedded the painter. He, passionate, studious, austere, and having already a bride in his Art; she a maiden of rarest beauty, and not more lovely than full of glee; all light and smiles, and frolicsome as the young fawn; loving and cherishing all things; hating only the Art which was her rival;"

Edgar Allan Poe




16 de agosto de 2009

Quando eu for, eu vou sem pena



Quando eu for, eu vou sem pena
Pena vai ter quem ficar

Morena tão desamada e tão precisada de amar
Açucena delicada sem a mão lhe cuidar
Curva de rio de sereno sem proa pra navegar
E tanta beira de estrada sem um moço pra pousar

O que eu fiz é muito pouco
Mas é meu e vai comigo
Deixo muito inimigo
Porque sempre andei direito
Agasalhei neste peito muita cabeça chorando
Morena minha até quando você de mim vai lembrar

Quando eu for, eu vou sem pena
Pena vai ter quem ficar


Cajuína



Existirmos: a que será que se destina?
Pois quando tu me deste a rosa pequenina
Vi que és um homem lindo e que se acaso a sina
Do menino infeliz não se nos ilumina
Tampouco turva-se a lágrima nordestina
Apenas a matéria vida era tão fina
E éramos olharmo-nos intacta retina
A cajuína cristalina em Teresina


28 de julho de 2009

John Cage & Merce Cunningham


Luscious Life


Um astro
Ouve a longa incoerência da palavra e a memória do sangue que se apaga. Ouve a terra taciturna. Tudo é furtivo e as sombras não acolhem. Nenhum jardim de segredos. Nenhuma pátria entre as ervas e a areia. Onde é que nasce a sombra e a claridade?

Eis as vertentes da terra árida e negra. Quem reconhece o equilíbrio das evidências serenas? Estas palavras têm o odor de portas enterradas. Como dominar a desmesura da ausência e a vertigem? Como reunir o obscuro em palavras evidentes?

Escuta, escuta a longa incoerência da terra e da palavra. Ao longo da distância murmura a perfeição monótona de um mar. Num pudor de esquecimento um astro se aveluda em denso azul na corola do silêncio.

António Ramos Rosa



22 de julho de 2009

Rosa & Carmensita




"Trahit sua quemque voluptas. A cada um a sua inclinação: a cada um também o seu objetivo, sua ambição, se quiserem, seu gosto mais secreto e seu mais claro ideal. O meu estava contido na palavra beleza, tão difícil de definir, apesar de todas as evidências dos sentidos e dos olhos. Sentia-me responsável pela beleza do mundo. Queria que as cidades fossem grandiosas, arejadas, banhadas por águas claras, povoadas por seres humanos cujo corpo não tivesse sido deteriorado pelas marcas da miséria ou da servidão, nem pela vaidade de uma riqueza grosseira."
Marguerite Yourcenar






15 de julho de 2009

The Truth / Skyscraper



*

Experimento um grito
Contra o teu silêncio
Experimento um silêncio
Entro e saio
De mãos pálidas nos bolsos

Alexandre O'Neill

>

6 de julho de 2009

Je reviens te chercher



um dia acredito que estás à espera de algum silêncio escavado no limite do teu nome e não te digo. na paragem do autocarro finjo-me morta. e espero-te no trajecto onde a travessa é mais memória. um dia a boca há-de rasgar na marginal a travessa da tua rua. a tua marginal travessa. a tua rua marginal. a tua travessa quadrada onde o chuveiro tem peixes azuis com asas de chaminé. um dia acredito que estás à espera da noite para me rasgar nos olhos um incêndio de viagens. um dia como-te.

Maria Quintans "Bandida"



4 de julho de 2009

Con toda Palabra



(...)
Vou morrer assim, arfando
entre o mar fotográfico
e côncavo
e as paredes com as pérolas afundadas. E a lua desencadeia nas grutas
o sangue que se agrava.
(...)

H.H.




1 de julho de 2009

Heart Full Of Wine



Esta es mi copa, ¿ves
brillar la sangre
detrás del filo del cristal?

Esta es mi copa, brindo
por la unidad
del vino,
por la luz desgranada,
por mi destino y por otros
destinos,
por lo que tuve y por lo que no
tuve,
y por la espada de color de sangre
que canta con la copa transparente.

Pablo Neruda


30 de junho de 2009

Pina Bausch



Assim devera eu ser
e não esta cigarra
que se põe a cantar
e me deita a perder.



27 de junho de 2009

Billie Holiday



O olhar é um pensamento.
Tudo assalta tudo, e eu sou a imagem de tudo.
O dia roda o dorso e mostra as queimaduras,
a luz cambaleia,
a beleza é ameaçadora
-não posso escrever mais alto
transmitem-se, interiores, as formas.

Herberto Helder



23 de junho de 2009

Splendour in the Grass



What though the radiance
which was once so bright
Be now for ever taken from my sight,
Though nothing can bring back the hour
Of splendour in the grass,
of glory in the flower,
We will grieve not, rather find
Strength in what remains behind;
In the primal sympathy
Which having been must ever be;
In the soothing thoughts that spring
Out of human suffering;
In the faith that looks through death,
In years that bring the philosophic mind


14 de junho de 2009

Love Came Here




There is no end to this story
No final tragedy or glory
Love came here and never left

Now that my heart is open
It can't be closed or broken
Love came here and never left



5 de junho de 2009

Out Of Time




Where's the love song
To set us free?

Too many people down
Everything turning the wrong way around
And I don't know what love will be
But if we start dreaming now
Lord knows we'll never leave the clouds

And you've been so busy lately
that you haven't found the time
To open up your mind
And watch the world spinning gently out of time

Feel the sunshine on your face
It's in a computer now
Gone are the future, way out in space

Tell me I'm not dreaming but are we out of time?
(We're) out of time.





20 de maio de 2009

Into my arms


video



And I believe in Love
And I know that you do too
And I believe in some kind of path
That we can walk down, me and you
So keep your candlew burning
And make her journey bright and pure
That she will keep returning
Always and evermore




14 de maio de 2009

If It Be Your Will

video



If it be your will
That I speak no more
And my voice be still
As it was before

I will speak no more
I shall abide until
I am spoken for
If it be your will

7 de maio de 2009

Bonjour Tristesse



Sur ce sentiment inconnu dont l’ennui, la douceur m’obsèdent, j’hésite à apposer le nom, le beau nom grave de tristesse. C’est un sentiment si complet, si égoïste que j’en ai presque honte alors que la tristesse m’a toujours paru honorable. Je ne la connaissais pas, elle, mais l’ennui, le regret, plus rarement le remords. Aujourd’hui, quelque chose se replie sur moi comme une soie, énervante et douce, et me sépare des autres.

Françoise Sagan

25 de abril de 2009

15 de abril de 2009

Quarter Past Wonderful



Para o Mário Cesariny

Moveu-se o automóvel - mas não devia mover-se
não devia!

Ontem à meia-noite três relógios distintos bateram:
primeiro um, depois outro e outro:
o eco do primeiro, o eco do segundo, eu sou o eco do terceiro

Eu sou a terceira meia-noite dos dias que começam

Pregões de varina sem peixe
- o peixe morreu ao sair da água
e assim já não é peixe

Assim como eu que vivo uma VIDA EXTREMA.

António Maria Lisboa




14 de abril de 2009

Elephant



what's the point of this song or even singing?
if you've already gone, why am i clinging?
well i could throw her out
and i could live without
and i could do it all for you
i could be true
tell me if you want me to lie
'cause this has got to die
i said this has to stop
this has got to lie down, down
with someone else on top
you can both keep me pinned
'cause it's easier to tease
but ye can't make me happy
quite as good as me..
well,
you know that's a lie


7 de abril de 2009

Let Me Go Let Me Go Let Me Go



Wait behind
Shadows still with us
The tides are with us
Silent sorrow with us
As long as there's no forgiveness
Wait behind


3 de abril de 2009

Gran Torino End Credit Song



So tenderly your story is
nothing more than what you see
or what you've done or will become
standing strong do you belong
in your skin; just wondering

gentle now the tender breeze blows
whispers through my Gran Torino
whistling another tired song

engine humms and bitter dreams grow
heart locked in a Gran Torino
it beats a lonely rhythm all night long...



1 de abril de 2009

Samba da Rosa




"...a injunção que consiste em amar outrem como a si mesmo; é demasiado contrária à natureza humana para ser sinceramente obedecida pelo homem comum, que nunca amará senão a si próprio, e não convém de modo algum ao sábio, que não se ama particularmente a si próprio."
Marguerite Yourcenar


31 de março de 2009

Silence





Travis Bickle: I'll tell you why. I think you're a lonely person. I drive by this place a lot and I see you here. I see a lot of people around you. And I see all these phones and all this stuff on your desk. It means nothing. Then when I came inside and I met you, I saw in your eyes and I saw the way you carried yourself that you're not a happy person. And I think you need something. And if you want to call it a friend, you can call it a friend.
Betsy: Are you gonna be my friend?
Travis Bickle: Yeah.


29 de março de 2009

Biba Sada Dil Morr De


Só o fogo e o mar podem olhar-se
sem fim. Nem sequer o céu com suas nuvens.
Só o teu rosto, só o mar e o fogo.
As chamas, e as ondas, e os teus olhos.
...
Só o teu rosto interminavelmente.
Como o fogo e o mar. Como a morte.
Eduardo Carranza

 

Prelude For Time Feelers



Quero
escrever o borrão vermelho de sangue
com as gotas e coágulos pingando
de dentro para dentro.
Quero escrever amarelo-ouro
com raios de translucidez.
Que não me entendam
pouco-se-me-dá.
Nada tenho a perder.
Jogo tudo na violência
que sempre me povoou,
o grito áspero e agudo e prolongado,
o grito que eu,
por falso respeito humano,
não dei.

Mas aqui vai o meu berro
me rasgando as profundas entranhas
de onde brota o estertor ambicionado.
Quero abarcar o mundo
com o terremoto causado pelo grito.
O clímax de minha vida será a morte.

Quero escrever noções
sem o uso abusivo da palavra.
Só me resta ficar nua:
nada tenho mais a perder.

Clarice Lispector



20 de março de 2009

Oh So Insistent




MULHERES

Há nas mulheres
o sono duma ausência
como uma faca aberta
sobre os ombros
à qual a carne adere
impaciente
cicatrizando já durante
o sonho

E há também
o estar impaciente

calarmos impaciente
todo o corpo

Sorrir não devagar
claramente
lugares inventados sobre
os olhos
E há ainda em nós
o estar presentes
diariamente calmas
e seguras

mulheres demasiado
serenamente

nas casas
nas camas
e nas ruas

E como toda esta herança
Não chegasse
Como se ainda quiséssemos aumentá-la

Fechamos os braços de cansaço
como se da vida
chegasse o inventá-la

E se o sono
nos vem o esquecimento
quantas insónias
cansamos por de dentro

Maria Teresa Horta



Rising Clouds



Equação luminosa

Tirei ao ar um pedaço de luz. Abri
a caixa da estrofe e meti-o lá dentro. Depois,
despejei as palavras do poema para o
meio da luz, agitei a caixa, e vi
o brilho das vogais derramar-se pelas
consoantes, as sílabas soltarem
súbitas cintilações, ecos de lume
abafarem a sombra das consoantes.

Quando acabei, pus o caderno aberto
sobre a mesa, abri a caixa, deitei o
que lá estava sobre o papel e fiquei com
um poema luminoso nas mãos.

Nuno Júdice

19 de março de 2009

Blindesign



Blindesign

Um projecto dumas meninas muito simpáticas de quem eu (já) gosto muito.

Estão cansadissímas, com noites em branco, a preparar catálogos, fotos, coréles, etc.
Estão a começar.
O projecto, além de ser muito giro, ecológico e original, tem uma vertente social que me agrada por demais.

São meninas trabalhadoras, corajosas e amorosas.

Boa sorte.

(Podia por uma banda sonora, mas não sei bem que música gostam, acho que de jazz e clássica.)


15 de março de 2009

Guero Canelo




VERANO 1966

Cuando me extiendo junto al mar,
existe el agua y su palpitación
y un cielo azul cuya profundidad
es demasiado grande para mí.

Sentir el mar, su lentitud viviente,
es la magnificencia y el olvido,
pero sentir la vida de los camaradas
en ser el camarada de uno mismo.

El cielo inmóvil tiene su razón, lo sé,
pero la razón que hay en nosotros
existirá aún cuando este cielo
hay sido borrado por el viento y el frío.

Antonio Gamoneda






12 de março de 2009

Song For A Lover Of Long Ago

(...)
Em letras enormes do tamanho
do medo da solidão da angústia
um cartaz denuncia que um homem e uma mulher
se encontraram num bar de hotel
numa tarde de chuva
entre zunidos de conversa
e inventaram o amor com caracter de urgência
deixando cair dos ombros o fardo incómodo da monotonia quotidiana
Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome de ternura
e souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio A descoberta A estranheza
de um sorriso natural e inesperado
Não saíram de mãos dadas para a humidade diurna
Despediram-se e cada um tomou um rumo diferente
embora subterraneamente unidos pela invenção conjunta
de um amor subitamente imperativo
(...)
Daniel Filipe

9 de março de 2009

Pickpocket




Why do you do the things that you do?
You know you shouldn’t put your hands in other people’s pockets
Pick, pick pocket.







6 de março de 2009

Yonderhead




Pick me up, animate me, render me
take me back,to the ghosts
of the day

Lend me a life
put me in a loop, again
define, define me yonderhead